• NOVAS TECNOLOGIAS MUNDIAIS
  • GESTÃO MODERNA E PLANEJAMENTO PERSONALIZADO
  • COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE, SAÚDE DA POPULAÇÃO E DOS CORPOS D´ÁGUA

Redução de Perdas

REDUÇÃO DE PERDAS:

O controle de perdas em sistemas de abastecimento de água é um dos aspectos mais importantes para a utilização racional e eficiente dos recursos naturais e das instalações existentes para seu melhor aproveitamento.

ENOPS ENGENHARIA é pioneira na implantação de trabalhos nas companhias de saneamento brasileiras, com soluções integradas e resultados de curto prazo. A metodologia empregada determina a causas reais e identifica soluções adequadas.

 

DIAGNÓSTICO DE PERDAS:

A ENOPS realiza um diagnóstico completo que permite conhecer e mensurar cada componente da perda de um sistema, por meio de uma metodologia prática e com uso de tecnologias de ponta.

O diagnóstico também permite detectar deficiências operacionais que prejudicam o rendimento do sistema de abastecimento: alto consumo de energia elétrica, excesso de perda de carga nas tubulações, procedimento operacionais inadequados, dimensionamento inadequado de medidores e hidrômetros.

Com base no diagnóstico é possível elaborar um plano de ação eficiente e adequado, que atuará nas principais causas, garantindo resultados duradouros.

 

PROGRAMA DE REDUÇÃO DE PERDAS:

As perdas são oriundas de diversas causas, necessitando de ações alinhadas e bem definidas para não gerar conflitos e desperdício de recursos.

A ENOPS analisa com detalhe as necessidades e as características de cada sistema e desenvolve um plano de ação para combate as perdas personalizado e adequado a realidade de cada cliente, As ações são planejadas, priorizando as de maior impacto e que produzam resultados significativos, de forma a se ter o retorno do investimento, gerando recursos para reinvestimentos.

 

OTIMIZAÇÃO DE SISTEMAS:

Muitas deficiências operacionais nem sempre resultam em perdas, como, a eficiência energética de elevatórias que comprometem o desempenho do sistema e geram desperdício.

Neste serviço a ENOPS busca soluções práticas e eficazes que objetivam otimizar o sistema. São ações específicas para cada deficiência detectada e adequadas à realidade de cada cliente.

A otimização de sistemas melhora a imagem da empresa, reduz seus custos operacionais, diminui ou posterga a necessidade de investimentos em ampliação do sistema.

 

SETORIZAÇÃO:

A setorização da rede de distribuição é uma excelente forma de controlar um sistema, pois permite trabalhar de forma específica em cada setor. Também permite a realização de manobras e intervenções no sistema sem prejudicá-lo como um todo.

A metodologia empregada pela ENOPS para projetar e implantar os setores é baseada na filosofia de DMC – distrito de medição e controle. Os estudos de concepção dos setores e DMC´s são desenvolvidos a partir do levantamento em campo das condições reais de operação do sistema, por meio de medições de vazão e mapeamento de pressões.

Cada DMC possui sistema de medição de vazão e se necessário um sistema de controle de pressão. As variáveis de pressão e vazão são monitoradas constantemente através de uma metodologia de gestão simples e eficaz.

A ENOPS realiza desde estudos e projetos de concepção de setores até a sua implantação e pré-operação, com as seguintes vantagens:

Evita que estudos desenvolvidos sejam engavetados;
Permite que a implantação de setores estratégicos e com maior retorno sejam prioritários, alavancando recursos para os demais;Facilita adequações dos projetos de acordo com as necessidades técnicas enfrentadas na implantação permitindo ajustes e modificações do projeto, inclusive com alteração do sistema de controle a ser implantado;

Retorno do investimento e resultados operacionais mais rápidos, pois se implantam os setores à medida que são concluídos os projetos executivos;

 

CONTROLE DE PRESSÃO:

A pressão de serviço na rede de distribuição de água é o parâmetro operacional mais importante na vazão dos vazamentos e na freqüência de sua ocorrência. A elevação da pressão de serviço nas redes de distribuição tem efeito duplo na quantificação dos volumes perdidos, pois além de aumentar a freqüência de arrebentamentos, aumenta vazão dos vazamentos.

O controle de pressão é, portanto, o elemento mais importante na estratégia de controle de perdas físicas. A redução de pressão é provavelmente o caminho mais simples e de resultados mais imediatos para reduzir perdas físicas em sistemas de distribuição de água.

Estudos internacionais têm demonstrado a eficácia do controle de pressão no combate às perdas. Na cidade de Takamatsu no Japão a implantação de um sistema de controle de pressões reduziu em 23% o volume de perdas físicas do sistema de abastecimento de água. Esta meta foi atingida basicamente em função da limitação de pressões no período noturno, a valores não superiores a 40 mca. O resultado da implantação deste sistema também pode ser mensurado em termos de redução da ocorrência de vazamentos e arrebentamentos nas tubulações, tendo havido redução de 29% de ocorrências na rede e de 33% nas linhas principais.

Resultados expressivos foram também colhidos pela Bristol Water Co. no Reino Unido, apresentados na “Aquatech International Conference on Water Supply”. Foi observado que um acréscimo de pressão de 41 para 51 mca em uma determinada zona, para servir novos usuários localizados em pontos remotos, gerou um acréscimo de perda em torno de 10%.

Os benefícios esperados com a redução de pressão são os seguintes:redução do volume perdido através de vazamentos;

redução do consumo diretamente relacionado com pressão, tais como: lavagem de carros e calçadas, irrigação de jardins, etc;

redução da ocorrência de vazamentos, sendo que a economia obtida com a eliminação dos custos relacionados com reparos pode superar a economia de volume de vazamentos no longo prazo;

estabilização da pressão diminui a possibilidade de fadiga das tubulações inclusive das instalações internas dos usuários;

estabelecimento de abastecimento mais constante ao usuário, uma vez que grandes variações de pressão ao longo do dia podem dar a impressão ao cliente de um abastecimento deficiente e, pressões desnecessariamente altas geram a expectativa errônea de que o abastecimento está adequado;regularização da demanda em casos de racionamento.

A ENOPS possui larga experiência na implantação de sistemas de controle de pressão, tendo já realizado centenas de instalações para clientes como SABESP , COPASA e EMBASA, com resultados satisfatórios.

A metodologia desenvolvida pela ENOPS permite a seleção das áreas para implantação dos sistemas de controle de pressão considerando a estrutura de rede existente nas áreas críticas, dessa forma, evita-se que tempo e recursos, que geralmente são escassos sejam despendidos em áreas com relação custo x benefício pouco favorável.